Notícias

PIB de Pernambuco cresceu 0,8% no primeiro trimestre de 2020

/image/journal/article?img_id=60791945&t=1592593607094

Publicada em: 19 / 06 / 2020

 
A Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem, divulgou nesta sexta-feira (19), os dados do Produto Interno Bruto de Pernambuco (PIB-PE) do 1º trimestre de 2020. Segundo a entidade, a preços de mercado houve um crescimento de 0,8% em relação a igual período em 2019.
 
Em termos comparativos, a economia pernambucana apresentou um comportamento mais dinâmico que a economia brasileira no período, considerada a queda de 0,3% do PIB nacional. O PIB-PE alcançou R$ 51,6 bilhões, em valores correntes. Esse desempenho decorreu do comportamento, no trimestre, dos três grandes setores econômicos: Agropecuária (0,4%), Indústria (3,2%) e Serviços (-0,1%).
 
A divulgação ocorreu sob a forma de videoconferência para a imprensa e alguns participantes de entidades governamentais, sendo coordenação pela presidente da Agência Condepe/Fidem, Sheilla Pincovsky, com a presença do diretor de Estudos e Pesquisas, Maurílio Lima, e os gerentes da entidade, Rodolfo Guimarães e Wagner Lima.
 
Sheilla Pincovsky explicou que os números apresentados na ocasião não eram os inicialmente previstos em estudos anteriores para o PIB, nos quais o estado mostrava uma ampla recuperação de crises econômicas, mas que o resultado atual sobre a economia pernambucana ainda foi bastante satisfatório. “diante do cenário, com a existência desta pandemia, os dados indicadores da economia pernambucana ainda são positivos. Este desempenho não foi melhor por conta do setor de serviços, que foi o primeiro a ser atingido pelas ações voltadas para o combate ao Corona Vírus por conta do isolamento social”, disse a gestora.
 
Dados – Na comparação do primeiro trimestre de 2020 com o primeiro trimestre de 2019, o Setor Agropecuário apresentou variação de 0,4%. A Pecuária cresceu (3,9%), com destaque para o aumento na produção de ovos e da avicultura, suinocultura e bovinocultura de corte. Mas, houve redução nos números de dois segmentos agrícolas no período: as lavouras permanentes (-19,5) e as lavouras temporárias (-18,0%).
 
 
 
Já o setor industrial , na comparação do primeiro trimestre de 2020 com o período no ano anterior apresentou crescimento (3,2%) no volume do seu valor adicionado. Contribuíram para esse desempenho os resultados positivos da Indústria de transformação (8,0%) e da Produção e distribuição de eletricidade, gás, água, esgoto e limpeza urbana (2,1%). A Construção civil, por outro lado, apresentou comportamento negativo (-5,3%).
 
O Setor de Serviços registrou variação de -0,1%. Estes números segundo Maurílio Lima, já refletem a chegada da pandemia na segunda quinzena de março. A Intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados (3,2%), Atividades imobiliárias e aluguéis (2,1%) e Administração, saúde e educação pública (1,9%) registraram desempenho positivo. Já Outros Serviços e de Comércio, apresentaram índices reduzidos,  em -3,8% e -1,5%, respectivamente.