Território Estratégico de Suape - Diretrizes

EIXO – ORGANIZAÇÃO DO TERRITÓRIO


  • Otimizar a ocupação dos espaços vazios já infraestruturados nas áreas urbanas, minimizando os custos de urbanização e contribuindo para criar melhores condições de habitabilidade;
  • Preservar, valorizar e recuperar as áreas do patrimônio natural, histórico-cultural para o uso sustentável;
  • Articular a ocupação com a rede de mobilidade, integrando espaços e conectando pessoas e atividades;
  • Garantir espaços ordenados para os empreendimentos, de forma complementar e integrada, desenvolvendo as vocações locais;
  • Compatibilizar e harmonizar as variedades de usos e as necessidades dos diversos setores de turismo, indústria, comércio, serviços e agricultura;
  • Fortalecer a capacidade institucional dos municípios para a gestão urbana e ambiental.


EIXO – MOBILIDADE


  • Garantir a macro- acessibilidade do complexo com as regiões externas ao território estratégico de suape, pelos modos rodoviário e ferroviário;
  • Promover e melhorar a acessibilidade do complexo com as áreas especiais deinteresse industrial e produtivo existentes e propostas;
  • Universalizar os benefícios gerados pelos investimentos do CIPS com acomplementação do sistema estrutural integrado-sei;
  • Assegurar um sistema de transporte público de passageiros multimodal com qualidade, conforto, segurança e de baixo custo, entre os núcleos urbanos do território e o complexo;
  • Garantir uma convivência harmônica entre o fluxo turístico do litoral sul do estado e o fluxo de carga: industrial, portuária e agrícola;
  •  Garantir que os novos projetos atendam aos padrões mínimos de conforto e segurança de circulação de veículos e pedestres.


EIXO – MOBILIDADE


  • Eliminar o racionamento de água p/ a população e assegurar o fornecimento p/ os novos empreendimentos;
  • Implantar sistema de abastecimento d’água nas áreas de interesse turístico;
  • Implantar o sistema de esgotamento sanitário nos núcleos urbanos, melhorando a qualidade de vida e protegendo o meio ambiente;
  • Recuperar e fazer funcionar os sistemas de tratamento de esgotos já existentes;
  • Encerrar a operação de lixões existentes e implantar aterros sanitários de forma consorciada;
  • Elaborar Planos Diretores Integrados de Abastecimento d’Água e de Esgotamento Sanitário para os municípios.